Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 15 de maio de 2018.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

eleições 2018

Alterada em 15/05 às 22h47min

Pedidos de Força Federal nas eleições serão analisados por presidente do TSE

Por unanimidade, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu nesta terça-feira (15), que, de agora em diante, cabe ao presidente da Corte Eleitoral analisar os pedidos de requisição de Força Federal para garantir segurança em municípios durante os pleitos.
Antes, os processos eram distribuídos entre os integrantes da Corte Eleitoral e levados pelos relatores de cada caso ao plenário. Com a medida, o TSE busca dar maior celeridade aos pedidos.
O uso da Força Federal está previsto em resolução interna do TSE para garantir a liberdade de voto e a normalidade da votação. No primeiro turno da campanha de 2016, o plenário do TSE autorizou o envio da Força Federal para 467 localidades de 14 Estados - Piauí, Rio Grande do Norte, Pará, Maranhão e Amazonas foram os que mais receberam o reforço.
Na sessão desta terça-feira, o TSE também autorizou a mudança de nome do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) para Movimento Democrático Brasileiro (MDB).
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia