Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 15 de maio de 2018.

Jornal do Comércio

Cultura

COMENTAR | CORRIGIR

CINEMA

Notícia da edição impressa de 16/05/2018. Alterada em 15/05 às 18h41min

Fantaspoa: intensivo de horror e fantasia em Porto Alegre

Filme Blood Fest é um dos selecionados do 14º Fantaspoa, que começa amanhã

Filme Blood Fest é um dos selecionados do 14º Fantaspoa, que começa amanhã


FANTASPOA /DIVULGAÇÃO/JC
Ricardo Gruner
Tudo começa porque somos cinéfilos, de acordo com João Fleck, curador do Fantaspoa - Festival Internacional de Cinema Fantástico de Porto Alegre, ao lado do colega Nicolas Tonsho. "Queríamos proporcionar às pessoas aquilo que nós gostaríamos de ver em um festival", afirma ele, a respeito de um projeto que chega à sua 14a edição ininterrupta. O evento começa amanhã e segue até 3 de junho. Neste período, uma centena de filmes será exibida - número que inclui cerca de 30 sessões comentadas, com presenças de produtores de horror, ficção científica e fantasia de diversas partes do mundo.
Em 2018, a programação está concentrada na Cinemateca Capitólio Petrobras, mas há atividades como cursos e sessões especiais em outros espaços, como Instituto Goethe (24 de Outubro, 112), Centro Cultural CEEE Erico Verissimo (Andradas, 1.223), Sala Redenção (Eng. Luiz Englert, s/nº) e Santander Cultural (Sete de Setembro, 1.028), além de sessões formativas em escolas.
São quatro homenageados: a brasileira Oldina do Monte, estrela dos títulos do diretor gaúcho Felipe M. Guerra; a belga Elina Löwensohn, recorrente nos filmes de Hal Hartley e com trabalhos com nomes como Spielberg; e os norte-americanos Mick Garris, da série Mestres do horror, e William Lustig, diretor de filmes como O maníaco.
Os temas vão de bruxas e lendas pagãs (Hagazussa) e robôs gigantes (BraveStorm) até uma assassina de aluguel (Madraza), enquanto os elencos incluem desde rostos desconhecidos até nomes como Murilo Benício (O animal cordial) e Tom Wlaschiha, de Game of Thrones (Berlin falling). O último deles vem à Capital para comentar o filme. "É a primeira vez que trazemos nomes mais estelares", comemora Fleck. "Muita gente vai ao festival por causa das exibições com debate. E é uma possibilidade de assistir filmes em primeira mão", completa ele, citando que, através da repercussão em eventos como este os diretores também ganham exposição para que possam financiar novos projetos.
Além das sessões regulares, o evento da 14ª edição conta com atividades como projeções musicadas: a banda Skrotes vai fazer a trilha, ao vivo, do clássico Nosferatu; já o grupo Quarto Sensorial, em colaboração com F_ck the Zeitgeist, fica encarregada da ambientação sonora de Frankestein, de James Whale. A lista de ações ainda inclui um baile de máscaras inspirado em De olhos bem fechados, uma festa no Cisne Branco, o FantasMercado (direcionado a negócios), oficinas e um nadrugadão na Cinemateca, com exibição de três longas e dois curtas-metragens.
Toda a agenda do Fantaspoa pode ser acessada pelo site www.fantaspoa.com.

Dicas do curador João Fleck

  • Berlin Falling (ALE), de Ken Duken
    24/05, às 19h, sessão comentada pelo ator Tom Wlaschiha, de Game of Thrones
    25/05, às 13h30min
    "Talvez o filme menos fantástico de todo o festival, decidimos passar mesmo assim porque traz uma coisa que temos buscado bastante: a sensação de terror real. Conta a história de um homem que era soldado. Um dia ele dá carona para um cara que está carregando uma bomba. Extremamente tenso."
  • Blood Fest (EUA), de Owen Egerton
    02/06, às 21h30min, sessão comentada pelo diretor e pelo produtor Will Hyde
    03/06, às 13h30min
    "É um dos mais divertidos, uma celebração de festivais de gêneros fantásticos. Um cara que, nos Estados Unidos, constrói uma mescla entre uma festa e uma versão interativa de filme de terror. O público acha que vai conhecer atores e diretores, mas o cara resolveu fazer o maior filme de terror já feito e matar todas as pessoas."
  • The Dark (AUT), de Justin P. Lange
    20/05, às 13h30min,
    25/05, às 15h
    "Uma menina morreu em uma floresta, e seu espirito fica amaldiçoando as pessoas que chegam perto desse lugar, até o momento em que conhece um garoto vítima de abuso. Ela se afeiçoa e a vida deles muda. Acabou de passar em Tribeca e foi superbem recebido. Fantaspoa é a segunda exibição mundial."
  • Floco de neve (ALE), de Adolfo Kolmerer, William James
    26/05, às 21h30min, sessão comentada pelo diretor Adolfo J. Kolmerer e pelo ator David Masterson
    29/05, às 17h
    "É o mais tarantinesco já filmado na Alemanha. História absurda. Começa com dois jovens imigrantes que querem vingar o assassinato dos pais, até que acham um roteiro e percebem que suas vidas estão sendo roteirizadas por um dentista. A partir daí, aparecem outros personagens, cada um mais louco que o outro."
  • Rock Steady row (EUA), de Trevor Stevens
    22/05, às 19h
    02/06, às 13h30min
    "Um filme diferente, que não se vê em nenhum outro lugar. É sobre um jovem calouro nos Estados Unidos em um futuro pós-apocalíptico, quando o mundo se tornou muito violento para que as pessoas caminhem. No primeiro dia, ele tem a sua bicicleta roubada. Então descobre que, dentro da universidade, existem gangues que manipulam o mercado negro de bicicletas."
*As sessões ocorrem na Cinemateca Capitólio Petrobras (Demétrio Ribeiro, 1.085)
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia